Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala

MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

03-09-2018

Arte à solta no museu! Um projeto minimalista mas inovador liga de forma exemplar o edifício do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia de Lisboa ao mais antigo edifício da Central Tejo situado mesmo ao lado.

MAAT - Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

MAAT

Não há dúvidas que o MAAT é muito mais do que o seu corpo estrutural, é nele que assenta a sua singularidade e modernidade numa simbiose feliz com o rio Tejo e a inigualável luz de Lisboa. Os dois edifícios encontram-se unidos por um jardim, pensado por Vladimir Djurovic, para embelezar a zona ribeirinha da cidade.

No interior, o jovem MAAT possui quatro espaços expositivos integrados numa área total de três mil metros quadrados. É aqui que podem descobrir-se exposições e instalações para todas as idades: “Gary Hill. Linguistic Spill In The Boiler Hall”, “Susana Mendes Silva. Vida e Trabalho: Não Como Antes Mas De Novo”, “Ângela Ferreira. Pan African Unity Mural” e “Germinal. O Núcleo Cabrita Reis na Coleção de Arte Fundação EDP”.

 

O MAAT reúne três esferas importantes da cultura: arte, arquitetura e tecnologia. As crianças e os jovens podem beneficiar cognitiva e emocionalmente de uma viagem dentro e fora do museu: podem observar e absorver uma quantidade apreciável de estímulos num ambiente novo e dinâmico que desperta a curiosidade, que permite a interação entre o que está a ser visto e aprendido, e a própria imaginação dos mais novos.

Cada um retirará o seu próprio significado sobre o que está a ver e a sentir na sua relação com as peças de arte, as formas arquitetónicas ou os objetos tecnológicos.

Cada matéria pode revestir-se de significados distintos para as diferentes crianças ou jovens, porque existe uma “ampliação de horizontes”, uma vivência individual que exercita o pensamento, a emoção e a criatividade que cada peça, percurso ou oficina suscita.

Partilhar