>

Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala

BilheteiraOnline entrevista Rodrigo Leão

23-01-2013

Rodrigo Leão subirá ao palco do Centro Cultural Vila Flor no próximo dia 26 de Janeiro. Em entrevista à BilheteiraOnline, fala da banda sonora que gostaria de compor, das influências que as suas composições sobrem e da realidade musical portuguesa.

BilheteiraOnline entrevista Rodrigo Leão

Rodrigo Leão no Centro Cultural Vila Flor

Que banda sonora que não existe gostaria de compor ?

É difícil escolher no meio de tantas obras boas que existem, mas um dos livros que me marcou mais na adolescência foi "O Idiota" de Dostoiévsky. Infelizmente não conheço nenhuma adaptação desta obra para cinema.

Qual a influência da literatura nas suas composições? E como surgiu essa influência?

Comecei a interessar-me por livros e música por volta dos 11, 12 anos. É evidente que isso me pode ter aberto novos caminhos e influenciado na forma de pensar e na minha vontade de criar. A minha mãe pagava-me para ler livros que ela me ia indicando e rapidamente um frete se transformou num prazer.

Como é a realidade musical portuguesa?

Não é fácil trabalhar como músico em Portugal, sobretudo nos tempos que correm mas ainda assim há muita gente criativa e cada vez oiço mais projetos musicais interessantes feitos no nosso país por pessoas que se sabem adaptar às vicissitudes desta nova realidade, sem desistir. Arranjam trabalhos fora do contexto musical que lhes permitem pagar as contas e vão à luta.
No tempo em que comecei a trabalhar como músico as coisas eram mais fáceis, havia mais apoio para promover novas bandas e era mais estimulante trabalhar neste meio. Com a Sétima Legião a minha primeira banda, chegávamos a ter setenta concertos num ano. Hoje duvido que um grupo que se esteja a estrear consiga fazê-lo porque simplesmente não há meios.

Para si, fazer música obriga sempre a trabalhar memórias pessoais?

Quase sempre assim é. Deve ser inevitável...

O que é que se pode esperar deste concerto no Centro Cultural Vila Flor em Guimarães?

Este concerto terá duas partes: a primeira exclusivamente instrumental com temas do último álbum "A Montanha Mágica" e de trabalhos anteriores, alguns deles adaptações de temas que anteriormente eram cantados; a segunda parte conta com a presença de mais dois músicos, João Eleutério na guitarrra e Frederico Gracias na bateria. Tem uma vertente mais pop e conta com a ajuda de dois cantores convidados, Mariana Lima (vocalista dos The Soaked Lamb) e Gomo, para interpretar alguns dos temas da última compilação "Songs", temas esses que foram compostos para as vozes de Beth Gibbons, Joan As Police Woman, Scott Mathew e Neil Hannon. A novidade desta segunda parte são dois temas inéditos da compilação "Songs": "The Long Run" e "Incomplete".

Partilhar