Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
HINDI ZAHRA | HOMELAND

HINDI ZAHRA | HOMELAND

Música & Festivais | Música

Theatro Circo

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
mai
25
Realizado

Abertura Portas

21:00

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Teatro Circo de Braga, EM, SA

Sinopse

A Marroquina Hindi Zahara traz na bagagem o seu mais recente disco, Homeland, um álbum autobiográfico e um espelho das múltiplas influências culturais que desaguam no seu país. À incontornável herança Berber, a música de Hindi Zahara acrescenta o amor pelos ritmos do Brasil, Cabo Verde, Índia ou Irão e não perde de vista linguagens musicais como o Jazz e o Blues. Descoberta e aclamada internacionalmente em 2010, após o lançamento do ábum Homemade, Hindi foi comparada a Billie Holiday e a sua atitude mereceu-lhe ainda a designação de Patti Smith do Norte de África.


1ª parte - Labaq

Em tempos onde as sombras parecem ser os faróis que opacam nosso dia a dia, é necessário encontrar a luz que levamos dentro para conseguirmos iluminar nosso caminho e podermos seguir dando passos para frente. Labaq levou isto ao pé da letra. Ao menos assim deixou claro em Lux (Voa Music, 2019), um álbum que traz uma reviravolta estética em seu som, mas que também soa como um manifesto artístico-político e a reivindicação de que cada um pode ser seu próprio farol.Três anos depois que a artista publica Voa (Voa Music, 2016), um exercício que situou a paulista como uma das vozes mais singulares da canção alternativa latino-americana e que a levou a correr 15 países em quase 250 shows em três anos, e que, ao mesmo tempo, nos apresentava Labaq como uma artista absolutamente fora de gêneros, tão perto do neofolk como do indie ou das texturas electrónicas; em Lux confirma não somente que é uma artista inclassificável e imprescindível, se não que é um dos nomes com maior capacidade de expansão da música brasileira contemporânea.

Partilhar
Quadrilátero
SEMIBREVE 2019 | Passe Geral

Serviços Adicionais