Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Os Anos que Abalaram o (Nosso) Mundo! - Teatro Art' Imagem

Os Anos que Abalaram o (Nosso) Mundo! - Teatro Art' Imagem

Teatro & Arte | Teatro

Cine-Teatro Garrett

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
mai
04
Realizado

Duração

80 minutos

Abertura Portas

21:00

Intervalo

Sem Intervalo.

Produtor

Varazim Teatro - G.A. - Associação Cultural e Juvenil

Sinopse

A segunda incursão à trilogia "A Identificação de um (o meu) País! depois de em finais de 2017 se ter estreado (Aveiro, Ponte de Lima e Porto) o primeiro espetáculo "O Fascismo (Aqui) nunca Existiu!" que em 2018 já tem agendado várias apresentações em diversas cidades do país, com texto, dramaturgia e direção do diretor artístico e fundador da companhia. Uma espécie de "cenas da vida portuguesa" nos seus anos de brasa, de 25 de Abril de 1974 à formação da companhia em 1981. Tal como a primeira peça desta "tríade", o texto principal da peça é original e "conta" a história de vida de uma personagem, um homem nascido em 1945 (27 anos, então) e que através das suas próprias memórias e do seu forte envolvimento na vida social, política e cultural vai acompanhando os grandes momentos que mudaram radicalmente a sociedade portuguesa. José, Pedro ou mesmo Isabel, vive no Porto, é trabalhador de um banco, casado e já com dois filhos, rapaz e rapariga de 8 e 7 anos. Leitor compulsivo de livros, revistas e jornais, sindicalista e militante político, viajante em construção, cineclubista, desportista, animador cultural e espectador atento de teatro...vive intensamente o golpe de estado que se transforma numa revolução popular porque o povo toma as ruas e luta para que as mudanças não sejam apenas cosméticas ("é preciso mudar alguma coisa, para que tudo fique na mesma") e tudo foi posto em causa, e tudo foi pedido em nome de um Portugal outro, melhor. Não sendo apenas um espetáculo sobre a memória, a perceção hoje de uma vida vivida, física ou efetivamente, é também sobre a história de um país, de uma persona que carrega em si características de diversas personagens, abordando factos precisos e acontecimentos reais, opiniões, perceções, testemunhos, a nível pessoal, político, social e cultural. Não se confundindo, os dois conceitos alicerçam-se porém em acontecimentos do passado, recordados hoje. Assim, várias camadas de realidade e ficção se entrelaçam quando são evocados acontecimentos, factos passados, na tentativa de compreensão do presente através da inscrição e conhecimento vivenciado ou tendo tomado conhecimento deles através de variados meios de divulgação.

Direção artística e Encenação José Leitão Elenco Daniela Pêgo, Susana Paiva, Patrícia Garcez e Luís Duarte Moreira Música Rui David Paulino Figurinos Luísa Pinto Video, Som e Luz André Rabaça Design Sofia Carvalho Produção Sofia Leal Fotografia Paulo Pimenta

Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda: