Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
MILO RAU - Os 120 Dias de Sodoma

MILO RAU - Os 120 Dias de Sodoma

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Municipal Rivoli

Grande Auditório
Classificação Etária
Maiores de 18 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
mar
07
a
2019
mar
08
Realizado

Duração

120 minutos

Promotor

Câmara Municipal do Porto

Breve Introdução

Teatro
Qui 7 Mar / 21h00
Sex 8 Mar / 19h00

MILO RAU (Suíça)
Os 120 Dias de Sodoma

RIVOLI Grande Auditório

O teatro de Milo Rau, considerado o mais controverso encenador da atualidade, volta ao nosso palco para um trabalho que desenvolve as pesquisas em torno do voyeurismo e as suas implicações políticas e artísticas.
Em 2017 apresentámos no polo do Teatro Campo Alegre Five Easy Pieces, protagonizado por um elenco de crianças que retratava os crimes que o pedófilo Marc Dutroux cometeu nos anos 90. Através de um trabalho colaborativo com a aclamada Theater HORA, companhia composta por atores portadores de Trissomia 21, a mais recente produção de Milo Rau atira-nos para diante dos olhos um teatro que obriga a pensar em questões fundamentais: qual é o significado do poder? O que é voyeurismo? Como proteger a dignidade da vida? O que é o normal, o que é o anormal? Onde termina a dor e começa a salvação? Os 120 Dias de Sodoma apropria-se do título do último filme de Pasolini, por sua vez inspirado no romance de Marquês de Sade, e convoca a sua estética para o teatro. Da literatura do final do século XVIII, às perturbadoras imagens que marcaram a história do cinema nos anos setenta uma série de rituais sádicos praticados sobre um grupo de jovens em período do regime totalitário em decadência , Milo Rau atualiza as relações de poder, sexo e violência que moldam os tempos e apresenta-as em carne e osso. O encenador e também sociólogo prolonga assim uma investigação sobre um certo tipo de regra que substituiu o sistema fascista, mas mantem os seus mecanismos de repressão, através da normalização do excesso, a constante otimização do homem, o perverso desejo de escândalo e a constituição de uma sociedade que oscila entre o hedonismo e a desgraça.
Ainda que imediata e mediaticamente antecedidos por uma nuvem de polémica, os espetáculos de Milo Rau podem mesmo ser impróprios para os mais suscetíveis na medida em que testam o que é representável e suportável, mas, acima de tudo, ensinam-nos que há no seu trabalho mais ternura que pudor.

Ficha Artística

Texto e Encenação: Milo Rau
Cenografia e Figurinos: Anton Lukas
Video: Kevin Graber
Desenho de Luz: Christoph Kunz
Dramaturgia: Gwendolyne Melchinger
Pesquisa e Colaboração Dramatúrgica: Rolf Bossart, Mirjam Knapp
Assistente de Encenação: Manon Pfrunder
Diretor Artístico do Theater Hora: Michael Elber
Interpretação: Noha Badir, Remo Beuggert, Gianni Blumer, Matthias Brücker, Nikolai Gralak, Matthias Grandjean, Julia Häusermann, Sara Hess, Robert Hunger-Bühler, Dagna Litzenberger Vinet, Michael Neuenschwander, Matthias Neukirch, Tiziana Pagliaro, Nora Tosconi, Fabienne Villiger
Produção: Schauspielhaus Zürich Theater Hora
Duração aprox.: 2h

Pontos de Referência

Praça D. João I

-
Partilhar
ASSINATURA 6