Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
A DANÇA DAS RAIAS VOADORAS

A DANÇA DAS RAIAS VOADORAS

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Meridional

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2018
nov
28
a
2018
dez
09
Realizado

Duração

70 minutos

Abertura Portas

20:30

Intervalo

Sem Intervalo.

Produtor

Companhia de Actores

Breve Introdução

A ação inicia-se no barco, em que as crianças avançam, à deriva. Dentro do Barco, confinadas à condição que lhes foi impugnada, estão: a GÉMEA-MAIS-VELHA, A GÉMEA-MAIS-NOVA, A CRIANÇA-OLHOS e a CRIANÇA-SÓ.
Enquanto sobrevivem ao mar vão gerindo a expectativa da viagem, o desejo da chegada, os perigos da travessia, o medo, a fome, a solidão.

As vozes das crianças são os olhos que nos levam a conhecer os acontecimentos passados em terra, vão revelar os acontecimentos que se deram em terra e que as trouxeram até àquele momento em que se encontram no barco. Vão expor revelações que umas e outras ainda não sabiam, vão descobrir episódios que se ligam entre si.
Ficaremos a saber que a GÉMEA MAIS VELHA era quem apanhava os pensamentos das pessoas, e que nela estão guardados os pensamentos das pessoas da cidade. Descobrem-se as imagens que a CRIANÇA-OLHOS escuta entre a escuridão, e cresce a angústia gritante da CRIANÇA-SÓ. Só a GÉMEA MAIS NOVA não fala. A GÉMEA MAIS NOVA é uma criança-silêncio perdeu a voz entre os despojos da cidade. É ela quem dança e quem move o barco sem saber que são os seus movimentos que o empurram. É ela que acende os olhos para ver a Dança elétrica das Raias Voadoras.

Sinopse

Uma noite, as mulheres que restavam daquela terra feita de pó e vento, agarraram nas crianças, e enquanto as crianças dormiam meteram-nas dentro de um barco. As crianças sonhavam que voavam sobre si mesmas, quando o balanço do mar as levou pelo céu da noite adentro. Quando as crianças acordaram já não estavam em terra. Quando as crianças acordaram já estavam longe de tudo. À volta era só céu. À volta era só mar. Esta foi a noite em que o restava daquele lugar se salvou de ser esquecido no tempo. Esta foi a noite em que as mulheres puderam dormir finalmente, porque a vida delas foi levada pelo barco também.

Um dia, tudo o que restava daquela terra junto ao mar ficou feito em pó. Quando o fogo caiu para queimar o que sobrava da cidade, as mulheres agarraram nas crianças, meteram-nas dentro de um barco e escreveram-lhes o caminho no corpo.

Em A DANÇA DAS RAIAS VOADORAS navega-se para um lugar onde a realidade é desenhada com contornos mágicos, sempre procurando a ligação a este mundo de cá, propondo um pensamento crítico acerca deste novo paradigma que nos afeta diariamente: o da fuga; do desespero; da esperança; do futuro incerto refém de um presente sombrio.

Ficha Artística

Texto e Encenação: Ana Lázaro
Interpretação: Cláudia Semedo, Ester Gonçalves, Rita Lagarto e Tiago Fernandes.
Música e Sonoplastia: Marcelo Costa
Figurinos: Paulo Subtil
Costureira: Augusta Coelho
Ilustração e Design: Sílvia Franco Santos
Desenho de Luz: Ana Lázaro e Sérgio Gaspar
Coordenação Técnica: Sérgio Gaspar
Produção: Companhia de Actores
Apoio: Antena 1, GUEL, Teatro Meridional

CE: M/12
Duração: 1h10 minutos

Informações Adicionais

PROJETO

A DANÇA DAS RAIAS VOADORAS surge na sequência do Ciclo temático iniciado pela autora Ana Lázaro, com o Projeto: CARTAS DE DAMASCO - Espetáculo de Teatro e Música inspirado nas cartas e testemunhos reais de Leen Rihawi, uma jovem síria residente em Damasco. O Espetáculo, que teve a sua estreia em 2017 na Fábrica das Artes Centro Cultural de Belém, com apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, propunha um espaço cénico dedicado à reflexão acerca de questões prementes relacionadas com as crises humanitárias associadas aos fluxos de refugiados, fluxos migratórios, e conflitos sociais.
Criado a partir de um ponto de vista íntimo, que é o da partilha do quotidiano de duas mulheres reais que vivem em pontos distintos do globo, este primeiro Projeto gerou uma linha de criação que prevê o espaço cénico enquanto materialização não só de momentos documentais como de lugares ficcionados a partir dessa realidade.

A DANÇA DAS RAIAS VOADORAS leva mais longe o espaço a ficção, aquela que procura, no entanto, remeter para o pensamento crítico acerca de um novo paradigma que nos afeta. Remete-nos para uma linguagem de Realismo-Mágico, que ultrapassa as fronteiras do plausível, partindo a imagem de quatro crianças que avançam à deriva num Barco, rumo ao desconhecido

O texto foi selecionado para o Laboratório de Dramaturgia de 2016, organizado pelo Teatro Meridional em colaboração com o Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, uma iniciativa que pretende incentivar a criação de textos inéditos em língua portuguesa, associando escritores a um painel de artistas e académicos, num trabalho conjunto que acompanha a escrita de um texto. Encontra-se editado pela COMPANHIA DAS ILHAS.

Preços

  • Plateia - 10€

Descontos

  • < 25 ANOS
  • > 65 ANOS
  • DIA DO ESPECTADOR

Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

BALBUCIA - Teatro para bebés

Teatro & Arte | Infantil

T. M. Amélia Rey Colaço

T. Amélia Rey Colaço

TRISTEZAS E ALEGRIAS

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Meridional

Sala Principal