Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
PRANTO DE MARIA PARDA

PRANTO DE MARIA PARDA

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Municipal de Ourém

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2021
dez
10
a
2021
dez
11
Realizado

Duração

60 minutos

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Município de Ourém

Breve Introdução

PRANTO DE MARIA PARDA
Teatro
10 de dezembro, sexta-feira, 10:00 e 15:00 (público escolar)
Entrada: 2 euros
11 de dezembro, sábado, 21:30 (público geral)
Entrada: 5 euros
Sala Principal
M/12 anos
Duração: 60 minutos

A partir de O PRANTO DE MARIA PARDA de Gil Vicente

SINOPSE

"Pranto de Maria Parda" parte do texto homónimo de Gil Vicente, escrito no rescaldo de um ano devastador e é levado à cena em 2021, no rescaldo de um outro ano devastador. Este espetáculo propõe-se vaguear pelas ruas de Lisboa à escuta da voz daqueles que a cidade escolheu deixar de lado, hoje, como há cinco séculos.
1521: Maria Parda vagueia pelas ruas de Lisboa. Não reconhece a cidade, assolada pela fome e pela seca. Quis Gil Vicente que Maria Parda simbolizasse o ano mau, que fosse mulher e alcoólica e que não tivesse lugar na cidade.
2021: Lisboa está irreconhecível, desfigurada pela gentrificação, pela presença (e ausência) do turismo, pela pandemia. Quinhentos anos volvidos, Maria Parda continua sem ter lugar.
A tradição foi insinuando que da designação "Maria Parda" se extraía a ideia de uma mulher negra. Mas em nenhum momento Gil Vicente parece indicá-lo. Resultará essa conclusão de um preconceito de interpretação e de leitura? Como se olha para este texto com quinhentos anos à luz das questões do racismo e do feminismo, que ele próprio hoje convoca, e que são prementes? Que caminho fizeram este texto, a cidade e Maria Parda - até hoje?

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Texto e encenação MIGUEL FRAGATA
Com CIRILA BOSSUET
Música CAPICUA (COM BEAT DE VIRTUS), CHULLAGE
Cenografia F. RIBEIRO
Figurinos JOSÉ ANTÓNIO TENENTE
Vídeo JOÃO GAMBINO
Desenho de luz RUI MONTEIRO
Desenho de som NELSON CARVALHO
Captação de som (vídeo) JOÃO BENTO
Técnica e operação RITA SOUSA
Assistência de encenação RAFAEL GOMES
Fotografia do cartaz PEDRO MACEDO
Consultoria JOSÉ CAMÕES, MAMADOU BA, NAKI GAGLO, MARTA ARAÚJO, SÍLVIA MAESO, JOANA GORJÃO HENRIQUES
Produção TEATRO NACIONAL D. MARIA II
Apoios CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA, LISBON FILM COMISSION, INFRAESTRUTURAS DE PORTUGAL

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

"SEGUNDA 2"

Teatro & Arte | Dança

Teatro Municipal de Ourém

Sala Principal

HERMAN JOSÉ | FESTIVAL MONTEPIO ÀS VEZES O AMOR

Teatro & Arte | Comédia

Teatro Municipal de Ourém

Sala Principal